fbpx

ClubHouse: 10 perguntas, 10 respostas

Quando todos procuram o que está a atrair o interesse dos utilizadores de redes sociais, nós explicamos o que é o ClubHouse, a aplicação que gera relações e eventos sociais onde a voz é o essencial, sem mais distrações.

  1. O que é?
    O sucesso desta app em muito se deve ao seu caráter único. Defini-la é, para já, uma tarefa complicada. Uma rede social de live chat, na qual se pode comunicar unicamente por meio da voz. 
  2. Como posso aceder?
    De momento, só está disponível para utilizadores de iPhone. Existem, contudo, planos para expandir a aplicação a um público mais vasto que inclua o sistema operativo Android. 
  3. Qualquer pessoa com iPhone pode aceder à ClubHouse?
    Teoricamente, sim. Pode, no sentido de estar apto a aceder à aplicação. Contudo, há ainda outra condicionante. Ao início, a única forma de usufruir da app era recebendo um convite de alguém que já fosse utilizador – quase como se de uma guest list se tratasse. Agora já é possível candidatar-se a entrar na rede e ser aprovado pela plataforma através de confirmação dos utilizadores que já lá se encontrem. Cada novo utilizador tem direito a 5 convites, recebendo mais à medida que for utilizando a aplicação.
  4. Como se organiza este “live chat”?
    Depois de entrar na aplicação, ser-lhe-á apresentada uma lista de tópicos que poderá seguir consoante os seus interesses. Seguindo os tópicos, encontrará pessoas com interesses em comum que pode também seguir. Mais tópicos e mais pessoas significam mais sugestões de salas nas quais pode entrar. 
  5. Como se processam as conversas?
    As conversas ocorrem no âmbito de salas que aparecem e desaparecem à medida que são criadas e encerradas. Não é possível gravar as conversas – esta é outra das particularidades da aplicação (se bem que a Internet é a Internet, há sempre forma de fazê-lo). As salas têm um limite de 5000 participantes. O criador da sala é o moderador e é quem define quem pode participar na conversa. 
  6. Que formatos são suportados pelo ClubHouse?
    Áudio (voz), essencialmente. O único formato adicional é a imagem, utilizada unicamente para definir uma fotografia de perfil. 
  7. Qual é o futuro desta aplicação?
    Bem, futurologistas não somos, é certo. Mas, por agora, não será arriscado dizer que esta é uma aposta promissora. Criada em março de 2020, o ClubHouse conta já com 6 milhões de utilizadores. Claro que a situação pandémica em muito contribuiu para a adesão das pessoas, mas acreditamos que o seu potencial vá para além disso. 
  8. Porque é que de repente todos estamos a falar do ClubHouse se já existe desde março de 2020?
    No início de fevereiro deste ano, Elon Musk esteve à conversa com Vlad Tenev, CEO da Robinhood. A conversa foi divulgada em livestream no YouTube (a Internet a fazer das suas!), impulsionando a sua popularidade e dando início à corrida por convites – estão até à venda no eBay! Além disso, a adesão de cada vez mais personalidades reconhecidas tem contribuído o aumento do número de utilizadores. Kevin Hart, Oprah Winfrey, Anitta, Drake, Jared Leto são alguns dos grandes nomes.  
  9. E em Portugal?
    Na bolha portuguesa, têm-se visto também nomes bastante interessantes. Não só artistas e entertainers, como Raquel Strada, Rui Maria Pêgo, Vhils e, até, Bruno Nogueira, como figuras de outras áreas: Rui Tavares (historiador), Carlos Moedas (administrador da Gulbenkian) e a jornalista Rita Marrafa Carvalho, entre outros.
  10. E sobre potenciais perigos?
    Até agora, entre os perigos identificados consta, essencialmente, a falta de protocolos de segurança. Começando, por exemplo, pela dificuldade em conter discursos de ódio e propagação de violência e acabando na inexistência de métodos de verificação de idade – apenas maiores de 18 podem integrar a aplicação, contudo, não existe ainda forma de assegurar esta realidade. 
Hey Siri, o que preciso saber sobre o ClubHouse?

Deixe um comentário